Dividi meu namorado com a empregada I Contos Eróticos

Meus pais tinham uma casa de praia numa cidade vizinha. A gente sempre ia nas férias passar uns dias. Quando comecei a namorar o Felipe eu passei a querer que ele fosse também. Com muita persistência o meu pai me deixou levar ele. 


A casa ficava sempre fechada e quando estávamos lá o meu pai contratava uma empregada pra limpar tudo antes de chegarmos e pra ficar lá durante nossa temporada. Era de costume ele chamar dona Maria por confiar muito nela, mas daquela vez ela não poderia ir e sugeriu sua filha. 


Seu nome era Marcela,  tinha 21 anos e tava no seu último ano de ensino médio. Ela estava de férias na época e precisando de grana, por isso sua mãe logo a indicou. A primeira coisa que eu pensei quando ela apareceu aqui em casa foi o quanto ela tinha um rabo gostoso. Não comentei com ninguém o que tinha pensado, mas reparei que meu namorado também tinha notado. 


Ele olhava pra ela de um jeito diferente enquanto ela limpava a casa. Parecia que ele queria comer seu rabo a qualquer custo. Algumas vezes percebi seu pau duro olhando pra ela, mas logo disfarçava. Pra limpar a casa; Marcela usava um shortinho de academia que marcava bastante sua buceta volumosa. 

Meus pais costumavam sair cedo e só voltar tarde da noite pra passear pela cidade, eu acabava ficando com meu namorado, mas em um dia eu tive que sair cedo também pra visitar uma amiga doente. Deixei meu namorado com a responsabilidade de abrir a porta para a Marcela.


Confiar nele talvez não tenha sido a melhor opção. Eu não avisei o horário que voltaria pra casa, eu disse que iria demorar e talvez chegaria junto com meus pais. Acabei voltando cedo, antes de meio dia eu já estava em casa, mas estava tudo muito quieto. 


Não tinha jeito de faxina, tudo estava exatamente igual quando saí. Logo pensei que Felipe tinha dormido demais e esquecido de abrir o portão então fui até meu quarto para acordá-lo. A porta estava entreaberta, mas do corredor eu escutei um barulhinho estranho, eu não conseguia descobrir se eram gemidos ou outra coisa. 


Quanto mais perto eu chegava mais claro ficava, com certeza eram gemidos e um deles era do meu namorado. No cantinho da porta eu vi a empregada deitada na cama completamente nua e de pernas arreganhadas, Felipe estava em cima dela também sem roupa e com a piroca enfiada na sua buceta. 


Fazendo um vai e vem dentro dela aquela vadia gemia. As mãos dele seguravam os peitos dela enquanto ele fodia sua xota. As bolas dele batiam na bunda dela tão forte que eu conseguia ouvir as estocadas. Aquela arrombada estava super molhada, estava de longe, mas ainda assim eu conseguia ver. 


A cada minuto ela pedia pra ele foder mais forte na sua buceta. Ele atendia dando tapas nas suas tetas e aumentando a velocidade. Eles não usavam camisinha, aquilo me deixou mais puta ainda. Não tive coragem de interromper. 


Fiquei vendo aquela baixaria toda morrendo de tesão. Ele pediu pra gozar dentro e ela deixou. A porra dele escorria na bunda dela e ela piscava seu cuzinho pro Felipe ver. Fui embora e voltei mais tarde tentando digerir tudo aquilo. 


Quando voltei eu decidi que não contaria a ninguém, coloquei uma câmera escondida dentro do quarto pra filmar a foda deles dois e me masturbar depois. 


Ele continuou comendo ela durante o dia até o final da viagem, a noite era a minha vez e ele sempre me chamava pelo nome da empregada quando estava prestes a gozar. A minha parte preferida da viagem foi ter dividido meu namorado com a empregada gostosa. 
contos eroticos fudendo empregada

By - Sheillaxv

Comentários