A quarentena com meu pai safado I Contos Eróticos

Quando a quarentena começou na minha região a minha mãe estava viajando para outro Estado e não teve como voltar. Fiquei em casa com meu querido papai assumindo a responsabilidade de mulher da casa. Tive que fazer comida e mais tarde ser o lanchinho do meu pai. 


Meu pai se chama Edvaldo, ele tem 57 anos e apesar da aparência calma ele sempre foi muito bruto. Não tenho medo dele, mas evito falar muita coisa quando ele tá por perto só pra não levar bronca. Ele é um homem que adora beber nos finais de semana, ele tinha marcado um churrasco com seus amigos, mas teve que ser cancelado. 


Por causa disso aqui em casa tinha caixas enormes de cerveja que meu pai jurou que iria beber tudo sozinho e assim fez. No finalzinho da tarde ele sentava no quintal e bebia uma boa quantidade. Ele não é de ficar muito bêbado, mas ficava bem alterado e eu não gostava.


Uma vez eu ouvi minha mãe dizendo que quando meu pai bebia ele ficava violento na cama, forçava ela a trepar com ele com força e algumas vezes deixava sua buceta bem machucada. Eu escutava isso escondido e morria de nojo do meu pai por fazer algo assim, mas não podia contar pra ninguém porque era segredo dela. 


No primeiro final de semana da quarentena, meu pai sentou pra beber pela manhã e só parou quando tava caindo de bêbado. Ele tava tão louco que me chamava pelo nome da minha mãe e mandava eu ir fazer a comida dele. Eu fui colocar no prato, fui obediente, mas no fundo morri de raiva. 


Depois de comer ele foi deitar sem ao menos tomar banho, nessa hora ele já me olhava de um jeito estranho e me chamando pelo nome da minha mãe eu fiquei com medo dele tentar me comer. Ele ficava arrumando o pau na bermuda e olhava pra mim com um ar estranho, avisei-o que também iria deitar e fui pro meu quarto. 


Demorei a pegar no sono, mas quando finalmente consegui cochilar um pouco eu sinto uma mão tateando minha bunda tentando alcançar minha buceta. Até então eu ainda tinha relutância em acordar, mas quando percebi que estava sem calcinha eu me assustei na hora. Eu estava deitada de barriga pra cima com as pernas abertas e sem calcinha. 


Meu pai entre minhas pernas com a boca na minha buceta me chupando. Tentei tirar sua cara dali, mas ele segurava minha cintura, como meu pai é muito mais forte que eu; acabou não funcionando. Eu pedia pra ele parar, mas ele só me chamava pelo nome da minha mãe e mandava eu ficar quieta pra não apanhar. 


Num surto de raiva ele se levantou de vez e gritou comigo me dando um tapa no rosto. Me assustei com tamanha violência, mas meu pai não ligou. Voltou a chupar minha buceta enquanto eu chorava baixinho. Ele se aproveitou disso pra me puxar mais pra perto dele, a essa altura eu já não me debatia mais então ficou fácil pra ele me bolinar. 


Sua cueca mal conseguia segurar seu pau de tão duro que tava. Sua piroca babava e melava meu lençol. Meu pai me fazia olhar pra ver como eu deixava ele duro e tentava colocar na minha boca, ele pedia pra eu chupar só um pouquinho, mas eu negava. Ele voltava a chupar minha buceta e esfregava a cabeça da sua piroca na entrada da minha buceta. 


Ele tava pronto pra me fuder ali mesmo, mas estava sem camisinha. Eu deveria ter ficado quieta que ele mesmo iria desistir de me comer na pele, mas só porque eu disse que não deixaria isso acontecer, meu pai meteu sem dó na minha xota. Parecia que quanto mais eu negava mais excitado ele ficava. 


Meu pai urrava de tesão no meu ouvido. Eu não podia admitir pra mim mesma que estava gostando de tudo aquilo, seu pau me preenchia toda e me deixava molhadinha, a cada estocada seu pau entrava com mais facilidade dentro da minha buceta. Até que ele sentiu que ia gozar e tirou seu pau da minha xota esporrando tudo em cima da minha virilha. 


Enquanto meu pai me fodia eu realmente acreditei que ele tava confundindo eu com minha mãe por causa da bebida, mas depois de gozar em mim ele me deu um beijo na testa e soltou um: ``boa noite, filha`` e foi dormir no seu quarto. 
contos eróticos
By - Sheillaxv

Comentários