O marido da minha prima me fudeu gostoso

Adoro o olhar safado que os homens casados lançam pra cima de mim. Adoro provocar e chegar ao limite que eles não aguentam mais. Tenho um fetiche surreal em provocar homens casados, de vez em quando me sinto culpada, mas vê-los de pau duro sem poder me comer não tem preço.



Tenho só 20 aninhos e uma puta bunda que realmente chama atenção. Minha bunda é proporcional ao apetite sexual que eu tenho. Minha necessidade de gozar é diária, as vezes até acho que sou viciada em sexo. Se eu não transar pelo menos uma vez no dia; eu tenho que no minimo tocar uma siririca pra me sentir bem.


Viagens são horríveis pra mim porque na maioria das vezes não consigo transar e nem me masturbar. Minha última viagem eu pensei que seria exatamente assim: um porre. Todos os meus tios são cristãos com filhos também cristãos que se casaram com homens fiéis a igreja.


Minha prima, a garota exemplo da família, tinha uma vida de tentar botar inveja para todos por serem bastante religiosos. Era a família perfeita recebendo em casa uma garota bissexual, ariana e viciada em sexo.


Os primeiros dias foram super normais, eu quase nunca via o marido da minha prima porque ele sempre tava na igreja ou no trabalho. Mas teve um dia em especial que me deixou chocada e com tesão.


Eu estava em casa me arrumando para ir até a praça do bairro onde eles moram, porém não sabia o caminho e por coincidência o marido da minha prima acabou tendo que me levar até o meu destino. Ele fez uma cara bem feia ao descobrir que me levaria a uma festa que ele costuma chamar de mundana, mas levou.


Eu estava me arrumando ainda quando ele bateu na porta do quarto para me avisar que ele estava me esperando pra gente sair. Quando abri para irmos embora eu só conseguia rir do olhar esbugalhado que ele lançou pro meu decote e pra minha bunda.


Ele mal conseguia disfarçar seus olhares. No elevador ele continuava me olhando disfarçando no espelho. Sua mania de usar calças o tempo inteiro o entregou rapidinho, sua calça jeans estava estufada feito uma barraca armada.


Eu fingia que não estava percebendo seu tesão, tinha que bancar a garota inocente. Já no carro eu tive que sentar no fundo, pois a frente estava cheio de coisa. Fiz questão de sentar no meio e deixar minhas pernas abertas.


Meu priminho emprestado ficava apertando o cotovelo no pau pra disfarçar a piroca dura. Pelo reflexo no vidro do carro ficava nítido ele se contorcendo de tesão. Eu tava doida pra abrir seu zíper e chupar seu pau, mas não podia porque ele era casado com a porra da minha prima.


A todo momento ele inventava uma desculpa para olhar pro meio das minhas pernas ou pra tocar na minha coxa. Claro que eu deixei, não era culpa minha ele sentir esse tesão todo. Eu era até então solteira, o casado era ele então ele que lute pra conter o tesão.


Depois que desci do carro ao chegar no meu destino eu tinha certeza que ele se matou na punheta antes de voltar pra casa. Combinei um horário com ele e o descarado apareceu quase uma 1 hora antes.


Se meu short já era curto antes de ir a festa; depois dela estava quase uma calcinha. Completamente bêbada eu apaguei no banco do carona enquanto ele me levava pra casa. No meio do caminho meu priminho emprestado encostou o carro na pista e ficou me cutucando pra me acordar.


Com uma desculpa esfarrapada de que não lembrava o caminho de volta ele perguntava onde estava meu celular pra colocar o gps porque ele não lembrava mais o caminho. Me fingi de desentendida e continuei com os olhos fechados enquanto ele me apalpava toda.


Uma das mãos dele apertava meus peitos enquanto a outras estava na minha bunda. Ele estava morrendo de tesão e de medo, eu conseguia ouvir sua respiração ofegante em cima de mim. Pelo cantinho do olho eu enxerguei o volume que seu pau estava fazendo, quase estourou  zíper.


Ele me balançou tanto que meu peito pulou pra fora da blusa. Minha teta do lado de fora e minha buceta piscando de tesão. Ali já não tinha mais jeito e eu só acelerei mas as coisas chamando ele de outro nome pra bancar a bêbada que esquece de tudo no outro dia.


Achando que se aproveitava de mim ele começou a mamar no meu peito. Ele mordiscava o biquinho e puxava depois soltava de vez. Meu short já estava no meu joelho. A calcinha rapidinho eu perdi, quando ele viu que minha buceta estava encharcada caiu de boca me chupando.


Meu grelinho piscava da sua língua. Tentei controlar meus gemidos, mas eu estava com tanto tesão que não aguentei. Era meio difícil se mover dentro do carro, mas logo ele encontrou um jeito de abrir mais as minhas pernas e enfiar seu pau bem no fundo da minha buceta.


Me penetrando com força e sem camisinha ele parecia um louco. Ele me comia como se eu fosse uma prostituta, me batia e me chamava de vadia. Minha buceta estava piscando enquanto ele enfiava seu pau dentro de mim; isso deixava ele com mais tesão ainda.


Sua primeira gozada eu recebi todinha dentro da minha bucetinha, mas seu pau não amoleceu. Metendo com mais força ele nem tirou seu pau de dentro de mim, suas estocadas ficavam cada vez mais rápidas enquanto sua boca alcançava meus peitos. Prestes a gozar pela segunda vez o marido fiel da minha prima sentou ao meu lado e me fez chupar seu pau até ele gozar dentro da minha boca.


Engoli toda a porra que saiu do seu pau na sua frente feito uma putinha. Deixei escorrer um pouco pelo canto da minha boca e fiz ele limpar. Coloquei a calcinha que eu usava no seu bolso e vesti meu short de volta. 


Fiz ele voltar pro banco do motorista e chegando de volta em casa; já quase capotando de sono eu fingi que nada aconteceu enquanto ele continuava bancando o homem sério.



contos eroticos


By - Sheillaxv


Comentários