Dando uma rapidinha com a empregada ninfeta gostosa

Minha mulher sempre teve mania de levar mulher gostosa para fazer faxina aqui em casa. Na maioria das vezes eu acordava cedo já de pau duro e tinha uma gostosa rabuda no pé da pia lavando os pratos. Sempre tive vontade de traçar uma no canto e fuder até não aguentar mais. 



Me chamo Luiz, sou casado há 12 anos com a Alessandra. Nós saímos de um período em que estávamos tentando ter um filho, mas a frustração de não ter dado certo acabou abalando nosso casamento. Há tempos não fazíamos sexo e eu já estava literalmente de saco cheio. 


Nunca fui de chegar em mulheres depois que me casei, conseguia lidar muito bem com a falta de sexo dos últimos meses até que minha mulher resolveu mudar de empregada e colocar uma ninfeta gostosa pra trabalhar em casa. 


A nova empregada era uma putinha de 21 anos que tinha acabado de chegar na cidade vinda do interior. De fala arrastada e peitos fartos com bicos durinhos que ficava bem marcado na blusa ela tinha um ar de inocência e safadeza que me deixava louco. 


A menina tinha uma cara que rebolava gostoso, ela exalava sexo em cada respiração ofegante. Os primeiros dias dela na minha casa foram os piores. Eu sempre a encontrava em posições impossíveis de conter o tesão. 


O dia que eu resolvi comer sua buceta eu tinha acabado de acordar. Era um dia que eu estava de folga. Minha mulher de saído cedo para fazer as compras da reforma em casa e tinha ficado apenas eu e ela. Assim que acordei; encontrei a ninfeta de 4 com a bunda pra cima limpando a roda da mesa de centro. 


Meu pau que já estava acordando deu pulo que por pouco não bateu na minha testa. Encarei aquele rabo gostoso por uns minutos pra tentar realmente acreditar no que eu estava vendo. Quando ela percebeu minha presença logo se levantou me cumprimentando. Seu olhar foi direto no meu pau que fazia um volume enorme na bermuda de pano que eu usava. 


Meio tímida ela disfarçou o olhar tentando normalizar aquilo tudo, mas eu já não estava aguentando e fui me aproximando dela até estar perto o suficiente pra dar um beijo naquela boquinha. Meu pau latejava tanto por baixo da bermuda que eu parei de pensar pela cabeça de cima e só queria comer a ninfeta gostosa.


Beijei cada pedacinho do seu corpo. Era uma garota deliciosa e inocente que tentava a todo custo me repreender dizendo que eu era casado. Mas aquela safada tava gostando tanto quanto eu, fiz ela tirar seu shortinho e jogar longe pra ter uma visão melhor da sua xota. 


Caí de boca na sua buceta... ela soltava uns gemidinhos no pé do meu ouvido que parecia mais uma putinha. Me levantei e coloquei a safada para pagar um boquete no meu pau, fudi sua boca como se fosse uma buceta deixando ela bem engasgada com minha piroca. 


Depois colocando ela de 4 no sofá eu mirei meu pau na entrada da sua buceta e comecei a comer lentamente para aproveitar cada centímetro daquela buceta novinha. Cada estocada que eu dava ela apertava sua buceta no meu pau. Tava me segurando pra não gozar dentro dela, eu tinha tanta porra guardada que tava impossível de segurar. 


Comecei a comer mais forte aquela bucetinha, minhas bolas batiam na sua bunda com tanta força que fazia um barulho da porra. Quando suas pernas ficaram meio bambas e ela deu um gemido mais forte eu tirei meu pau de dentro dela pra lamber todo seu melzinho do orgasmo que ela tinha acabado de ter. 


Coloquei meu pau dentro da sua boca e a fiz chupar até esporrar dentro deixando ela toda lambuzada com meu leite. Gozei feito louco na sua boca. Ela ainda meio atordoada procurou sua calcinha jogada no chão para ir tomar banho, mas eu não deixei. Fiz a novinha safada trabalhar o resto do dia com a calcinha melada. 


contos eróticos empregada novinha





Comentários